O menino Meyer do Floresta

Este postagem é sugerida pelo site do Distrito Criativo, criado pelo espanhol Jorge Piqué da empresa UrbsNOVA.

Uma leitura do conto de Augusto Meyer, A Casa da Floresta, publicado no Correio da Manhã de 25 de agosto de 1945, ou intitulado O Menino da Floresta, publicado no livro Segredos de Infância, pela Editora do Globo, em 1949.

Paulo Bungart Neto, professor de literatura, faz uma uma relação das memórias de Augusto Meyer com a obra de Marcel Proust, “sob a ótica da imaginação como aspecto essencial para o resgate da memória”.

“A memória do passado só existe, portanto, na medida em que o reinventamos, criando um novo sujeito nem fictício nem real, mescla de recordações verdadeiras e impressões distorcidas”.

Vale a leitura deste conto sobre a memória de Augusto Meyer no bairro Floresta em Porto Alegre. É bastante visual e inspirador de possíveis fotografias que possam ser conexões das memórias de Meyer com as memórias dos atuais moradores.

 

a-casa-da-floresta1

Além de Augusto Meyer, Seu Julio, o estofador da Rua Hoffmann, também tem escritos que podem servir de inspiração para fotografias do bairro. Abaixo um dos contos que mostrou na última visita, que representa um diálogo que teve com o mar.

9336ES160816 9357ES160816 9360ES160816

 

Fontes:

A Casa da Floresta, de Augusto Meyer

http://memoria.bn.br/DocReader/Hotpage/HotpageBN.aspx?bib=089842_05&pagfis=27477&pesq=&esrc=s&url=http://memoria.bn.br/docreader#

http://www.interletras.com.br/ed_anteriores/n6_n7/textos/olhar_proustiano.pdf

MEYER, Augusto. Segredos da infância. Porto Alegre: Editora Globo, 1949.

Seu Julio…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*